Iniciaram os grandes eventos mundiais sobre a água

Esperanças e expectativas sobre os eventos que iniciam em Brasilia a respeito das águas, o Fórum Mundial Alternativo da Água – FAMA iniciado hoje,  17 de março de 2018.

Amanhã dia 18 de março de 2018 inicia o Forum Mundial da Água, o FMA, organizado pelo Conselho Mundial da Água, primeira vez realizado no hemisfério sul.

Ambos na América Latina. Anteriormente já foram realizados em outros regiões e países, em Marrakesh, Marrocos, 1997; em Haia, Holanda, 2000; Quioto, Japão, 2003; na Cidade do México, México, 2006; em Istambul, Turquia, 2009; em Marselha, França, 2012;  em Daegu e Gyeongju, Coréia do Sul, 2015. Cada um deixou sua marca e um passo para fortalecer a visão das águas sem fronteiras na região.

É a grande oportunidade de deixar legados, princípios e diretrizes para a verdadeira integração Latino-americana por meio das águas.

As águas não possuem fronteiras entre os países, províncias, departamentos, estados e municípios, cidades, bairros.

Como evento realizado em nossa região sem dúvida pairam as seguintes expectativas: quais serão de fato os efetivos resultados para que a visão de águas sem fronteiras esteja presente na sociedade latino-americana?  Como  essa visão poderá alcançar as pessoas e os tomadores de decisão em fazer políticas corretas e, a sociedade como um todo.

É importante que consiga sair como resultados uma boa agenda Latino-americana para os próximos anos, pelo menos até o próximo Fórum Mundial. Que tenhamos um Pacto Latino Americano das Águas, para as águas nas bacias hidrográficas, especialmente para a do Prata e da Amazônia e para os Aquíferos Guarani e Amazônico

A água é um bem público reconhecido pala maioria das Constituições dos países da América Latina. Isso gera a oportunidade de garantir que essas águas sejam garantidas para os usos múltiplos, ecossistemas, humanos, saneamento, agricultura, industrias, pecuária, transporte, turismo e lazer. Como esses temas  serão abordados no Fórum Mundial

As tendências das mudanças climáticas são de certa forma dramáticas e, ao mesmo tempo o uso das águas para a produção de alimentos e energia será mais intenso ainda. Como esses aspectos serão tratados?

Qual o panorama atual e futuro para da América Latina sobre as águas?

Estaremos presentes.

Boa participação a todos. Bons resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *